Educação - 18/07/2017 - 23:00:01

 

Alunos voltam a protestar em SP contra cortes no passe livre estudantil

Alunos voltam a protestar em SP contra cortes no passe livre estudantil

 

Da Redação com Abr

Foto(s): Divulgação / Rovena Rosa / Abr

 


Estudantes voltaram a protestar hoje (18), na capital paulista, contra a redução das cotas gratuitas de passagem para alunos no sistema público de transporte coletivo da cidade. As mudanças foram anunciadas no último dia 8 pela prefeitura.

Duas manifestações ocorriam, às 18h30, em pontos distintos da Avenida Paulista: uma no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), com a participação de entidades estudantis, como a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a União Paulista dos Estudantes Secundaristas (Upes); e outra na Praça Ciclista, com alunos secundaristas organizados autonomamente.

As mudanças no passe livre estudantil foram publicadas no último sábado (8) no Diário Oficial da Cidade de São Paulo. Originalmente, a gratuidade, regulamentada em 2015, previa uma cota igual ao número de dias letivos nas instituições de ensino – normalmente 24 por mês –, além de passagens destinadas à realização de atividades extracurriculares. Cada cota gratuita tinha limite de oito embarques por dia, a serem realizados no período de 24 horas.

Com as mudanças implementadas no último sábado, as cotas gratuitas de passagens passaram a ter um limite de 48 por mês, e com uso restrito a um período de apenas duas horas cada uma, contadas a partir do registro da primeira utilização. Na prática, o aluno poderá usar uma cota para ir à escola – com possibilidade de usar quatro ônibus diferentes – e uma para voltar para casa. Segundo a prefeitura, a medida foi tomada para que as passagens gratuitas contemplem “a real necessidade de deslocamentos vinculados à atividade escolar”, segundo o texto publicado no Diário Oficial.

“A prefeitura acha que o passe livre tem que servir só para a gente ir e voltar da escola. Mas o passe livre, além de ser uma política de assistência estudantil, é uma política de acesso à cidade, para a gente poder ir aos museus, para a gente colar [ir] no [parque] Ibirapuera, para fazer um trabalho. Usar o passe livre para a gente, de fato, poder acessar a nossa cidade”, defendeu Matheus Doná, membro da Upes.

A prefeitura foi procurada, mas ainda não se manifestou sobre os protestos de hoje.

Agressão a mulher

A passeata dos estudantes transcorria sem o registro de nenhuma ocorrência grave até por volta das 20h30 quando, segundo testemunhas, uma mulher foi agredida com um golpe de cassetete na cabeça por um policial militar. A agressão ocorreu na altura do número 451 da Avenida Nove de Julho, no centro da cidade.

Manifestantes que presenciaram o ocorrido disseram que o policial tentava fazer com que algumas pessoas que participavam da passeata não ocupassem todas as faixas de rolamento da avenida. Primeiramente empurrou as pessoas e, em seguida, desferiu o golpe que atingiu a parte lateral do rosto da mulher.

A vítima perdeu a consciência instantes depois e caiu na calçada da avenida com sangramento na cabeça. Os manifestantes então decidiram interromper a passeata enquanto a mulher não fosse socorrida. Cerca de uma hora mais tarde, por volta das 21h15, uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou ao local. A vítima foi levada a Santa Casa de São Paulo, no bairro de Santa Cecília. Não há informações sobre o estado de saúde da mulher.

A assessoria de imprensa da Polícia Militar confirmou que houve o registro de uma pessoa ferida com um golpe na cabeça, na passeata. No entanto, disse que a mulher foi agredida pelos próprios manifestantes.

 



;

São Paulo - Manifestação dos estudantes secundaristas contra os cortes no passe livre estudantil, na Avenida Paulista, região central

São Paulo - Manifestação dos estudantes secundaristas contra os cortes no passe livre estudantil, na Avenida Paulista, região central

Turismo SBC


Últimas Notícias




Gilmar Mendes prevê dificuldades com fake news nas eleições de 2018


VW Amarok V6 esgota na pré-venda em 24 horas


Show de Caetano aconteceu no Largo da Batata, em São Paulo, em apoio ao MTST


Clima natalino chega a São Bernardo com “Luz, Câmera, é Natal!”


MTST ocupa Secretaria em SP por tempo indeterminado por causa da invasão em São Bernardo


Inep libera conteúdo de videoprovas em libras do Enem 2017